30 abril, 2009

o sentido da vida

O sentido da vida não traça linha reta nem caminha pela mesma superfície, é ar e matéria de dor e prazer, ação e imaginação, está sempre exposto e escondido ao mesmo tempo em que uma consciência corre em sua procura.
O sentido da vida não tem sentido nem razão, apenas forma e volume de desentendimento, etéreo pensamento, onde tantos fracassaram em sua incessante e inocente busca...
O sentido da vida não é uma conclusão séria que se finaliza. O sentido da vida é, apenas, um filme do Monty Phyton.

2 comentários:

mano maya kosha disse...

enquanto ve tal filme, se na sua própria história, não discerne e busca glória, não há porque entender qualquer sentido ...

Mariana Tatos disse...

Escolher apenas um sentido para vida é muito pobre...