28 agosto, 2008

Fome

sinto fome
das coisas grandes
e pequenas
fome de abraço
dos braços que longe estão
fome de olhar nos olhos
de apertar a mão
fome da presença dos amigos
que é saudade
fome da vida plena
que é felicidade
fome de beijo demorado
fome de ter ao lado
o tempo todo, meu amado
fome dos sorrisos que não se fecham
fome de lágrimas que não escorrem
fome de sonhos ainda não sonhados
fome das flores que não morrem
fome das inquietações que me movem
sinto fome
fome também é sentimento
e assim, faminta sigo,
até que a fome se esgote
ao final de meu próprio tempo.

2 comentários:

Camilla Tebet disse...

Será que essas fomes ai se esgotam? Sinto algumas delas também. Só espero não ter que ficar bem gorda pra vê-las saciadas.

Ps. deixei uma pergunta pra vcs no meu último post. Não costumo deixar esse tipo de mensagem, mas essa é só pra matar a curiosade. Se tive rum tempinho, passa lá.

Jaque Lima disse...

Essas fomes todas. são saciadas. mas nunca acabam. e acho que isso não engorda. pelo contrário. sustenta...

bjooo