11 agosto, 2008

Eu (em tópicos)

eu não nasci há dez mil anos atrás. Mamãe me encomendou na geração mais brega do século XX;

se você não sabe qual a geração mais brega do século XX, adivinhe;

minha vida é um livro aberto (mas só até o terceiro capítulo);

eu tenho medo do cidadão de bem;

eu tenho medo da Narcisa Tamborindeguy, da Vera Loyola e da Hebe Camargo;

eu sinto vergonha alheia (principalmente ao ver Maluf e Clodovil como os mais votados em São Paulo, pra deputado federal);

eu acho que paulista consegue ser muito burro (vide constatação acima, dentre outros);

eu acredito que o inferno é aqui (o céu, de vez em quando, também é);

eu não acredito em instituições;

eu adoro bocejar em reunião;

eu tenho o nariz grande e me orgulho disso;

eu sonho, principalmente, quando não estou dormindo;

nem sempre eu acordo quando estou acordada;

eu odeio ter que escolher o que vestir, toda manhã;

eu nunca vi um chester;

meu cérebro só estabelece sinapses após 11h da manhã;

em muitos casos, títulos tem o mesmo valor que papel higiênico (cagado);

eu acredito que o futebol, em alguns níveis, causa demência séria nas pessoas;

o Big Brother, idem;

a TV aberta, então, nem se fala;

eu acredito que homem vidrado em comprar carrão tem o pau pequeno;

eu odeio shopping center;

é insuportável trabalhar num ambiente com mais de duas mulheres;

eu acredito que metrô na cidade inteira de São Paulo é a única solução para este trânsito caótico;

isso, contanto que o carro deixe de ser símbolo de status;

status de cu é rola;

eu vou pra Cuba antes do Fidel bater as botas;

eu quero que a Telefônica vá pra casa do caralho;

eu acho que a revista Veja é ótima e útil (para meu cachorro cagar em cima);

eu não tenho síndrome de vira-lata;

por isso, quem tem síndrome de vira-lata acha que sou chata e revoltada;

eu sou mesmo revoltada, e daí?

pra mim, beleza é relativa e estética não significa beleza;

eu mando recado para os burros nas entrelinhas;

eu sei que os burros, por serem burros, não vão entender as entrelinhas;

eu falo diretamente para os burros que, de tão burros, ainda assim não entendem;

às vezes eu me sinto um alien perdido nesse mundo;

a maioria das pessoas não me entende;

nem sempre eu me entendo;

eu estou falando um monte de coisas esquisitas que só eu acho que não são esquisitas;

então eu vou falar como alguém normal;

pra mim, loucura e normalidade estão no mesmo nível;

eu não sei o que é ser normal;

eu amo minha filha, muito, muito multiplicado por milhões;

eu amo minha mãe, sempre;

eu amo meus irmãos (quando não estão em casa);

eu sou ciumenta;

eu sou territorialista (mas não mijo pelos cantos);

eu detesto ter cachorro em apartamento;

meus amigos do peito são poucos, e eu os amo muito;

eu amo cozinhar;

eu amo cozinhar para os meus amigos;

eu amo ficar 5 horas cozinhando para ver todos devorarem tudo em 30 segundos;

pra mim, valor e preço são coisas totalmente distintas;

eu adoro o sanduíche de mortadela do Mercadão;

o sanduíche de mortadela do Mercadão me dá dor de barriga;

leite me dá dor de barriga;

eu sou viciada em café;

eu estou tomando café e comendo brownie enquanto escrevo essas linhas;

eu sou viciada em comprar livros;

eu sou viciada em música;

já deu pra perceber que eu sou revoltada, mas uma revoltada feliz;

eu já estou cansando de falar de mim;

eu já fiquei cansada e vou publicar a postagem;

eu não sei de muita coisa;

o pouco que eu sei eu não sei se sei;

eu não sei o que é saber;

eu não desejo muita coisa pra minha vida;

eu gosto das coisas simples;

meus sonhos e anseios são simples;

eu quero uma casa no campo, onde eu possa compor muitos rock´s rurais.

4 comentários:

Amanda disse...

esqueceu de dizer a seu respeito que você é uma "tuda"!
té sábado, maluca como eu, da terra dos malucóides!!

b. illusion disse...

E tenha somente a certeza que os amigos do peito vão comer sua lasanha e entender tudo que você diz nas entrelinhas, além de acharem você legal e seu nariz lindo. E nada mais. hehehehe, beijo!

Camilla Tebet disse...

Putz.... tô embasbacada. Adorei o texto. Adorei. eu também...
"eu amo meus irmãos (quando não estão em casa)"....... eu também um monte de coisas que vc disse aí. Vc não é Alien não!!!
bjos de fã

Fernanda Pereira disse...

Então eu também sou alien!!!!

Pq me identifiquei com um monte de coisas e entendi tudinho!!!!

:D