01 agosto, 2009

ancestral

moço robusto de olhos verdes
carregando peso de sacos de farinha
a vender sábado na feira
pé descalço na estrada quente
pés de areia

em seu andar depressa no interior das alagoas
deu-se a topar com meia dúzia de cangaceiros
de lamparina acesa a tropa de lampião
corrida a fuga a deixar os seus lá atrás
atravessando brasis a procurar outro verão.

Para meu avô Ilídio, olhar de mar de saudades.

2 comentários:

Amanda disse...

escreve logo um livro vai!

Calu Baroncelli disse...

eita! será mesmo?