13 abril, 2005

Eu sou idealista, e daí?

Eu sou idealista sim. E daí? E você, é? Se não é, por que?

Eu não posso dizer que vou salvar o mundo, eu não vou salvar o mundo e sozinho ninguém vai. Mas eu quero ajudar a mudar o mundo. Um pouquinho que seja. 0,001%, mas eu quero. Já é alguma coisa.
Eu tenho vontade de chorar quando eu passo de ônibus no meio da favela do Jardim Elba, vindo pro trabalho, e vejo crianças brincando com lixo nos terrenos baldios. Quando eu vejo o ser humano vivendo em condições precárias. Quando eu vejo crianças pedindo esmolas nos faróis. Criança tem que brincar, tem que ir à escola, tem que ter cultura, tem que ter infância. Criança não tem que vender bala ou pedir moeda pra ajudar os pais, isso quando os tem. Criança não tem que trabalhar. Criança não tem que passar fome ou qualquer outro tipo de necessidade. Criança não tem que ser abandonada.
Eu sou idealista no Brasil. Pô, alguém tem que ser. Eu sei que não estou só, mas às vezes me sinto ridícula ou um tanto solitária nesses pensamentos, uma vez em que é um número mínimo de pessoas que idealizam um mundo melhor como eu. Eu queria que a fome no mundo acabasse. Que não existisse mais violência, nem corrupção. Que as pessoas brigassem menos e se amassem mais. Que o ser humano jogasse sua imbecilidade no lixo, e fizesse algo mais pelos outros seres humanos que precisam. Eu estou tentando... aos pouquinhos, com coisas muito pequenas, mas estou tentando. Pior seria se eu cruzasse os braços e achasse que o mundo não tem mais jeito.

Eu queria que todo ser humano pudesse viver em paz, ter acesso à educação, à cultura, ao lazer, tivesse um lugar bom pra morar. Que todo ser humano pudesse ter perspectivas e objetivos e acreditasse neles. Que todo ser humano parasse de passar a perna no outro.
Que todo ser humano pudesse viver num lugar melhor.

Eu sou idealista no Brasil.

2 comentários:

Rodrigo R. Pedroso disse...

Você é idealista, e não está sozinha.

Abraços!

Rodrigo R. Pedroso disse...

Prece

(Murilo Mendes)

Senhor, minha prece se faz
Em termos exatos:
Que os maus sejam bons
E que os bons não sejam chatos.